Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mazai

"A felicidade encontra-se ao longo do caminho, não no fim da estrada." - Sol Gordon

Mazai

"A felicidade encontra-se ao longo do caminho, não no fim da estrada." - Sol Gordon

Boa escolha

Na sexta fui jantar ao Porto, ao Essência. É um restaurante vegetariano, embora também tem opções de carne e peixe, para não excluir ninguém. O restaurante tem muito bom ambiente, bastante acolhedor mas sem deixar de ter glamour. As refeições são divinais, desde o crepe de espargos, ao ravioli de legumes, sem esquecer o risotto de espargo, tudo estava delicioso. Como sobremesa optamos por um supremo de chocolate com gelado de tangerina, meu Deus (acho que não preciso de dizer mais nada, não é?).

Claro que toda a Bela tem o seu senão. O senão deste restaurante é que é de dificil acesso, ou seja quem não conhecer muito bem o Porto, demora a encontrar a rua. Nós até ligamos para o restaurante para nos indicarem o caminho e até eles tiveram dificuldade em explicar.

 

Quem quizer dar uma vistas de olhos:

http://www.essenciarestaurantevegetariano.com/

 


publicado às 09:45

de volta ao trabalho

 

Pois é, de volta ao trabalho, depois de uma cirurgia e do respectivo descanso que me foi imposto. Estou atolada de trabalho e já com um monte de problemas para resolver, mas com calma e paciência vão-se resolvendo aos poucos. E tenho que agradecer por ter trabalho, que até isso muitos não têm.

publicado às 18:51

Isto há cada uma ... que lata

O Presidente queixa-se!!!! Que lata!!!!!
E nós, o povinho que recebe bem abaixo dos 1000,00€? E quem recebe o salário minimo? Esses sim, não vão pagar as despesas, como também vão passar fome. Sim, senhor Presidente, vão passar fome, pois neste País há quem passe fome. E, senhor Presidente, não se preocupe com as suas despesas, que nós os Portugueses ajudamos-o a pagá-las. Pois, é isso que também fazemos com o resto do Governo, ou não?
publicado às 21:52

Aparelhinho jeitoso

 

Já conhecia este aparelho há já algum tempo, mas duvidava que resultasse. Então qual não foi o meu espanto quando vi em casa da minha sogra esta maquineta. Escusado será dizer que ela ofereceu-ma. E eu digo-vos, realmente vale a pena. Tira todinhos os borbotos, e deixa as camisolas e casacos perfeitos. Só é pena ser a pilhas!!!

publicado às 19:41

Trabalhar ao Sábado? Não, obrigado!!!

O acordo que foi assinado esta quarta-feira pelo Governo, patrões e a UGT vai alterar muito a forma como nos relacionamos com o trabalho, pois ora vejam as alterações:

- Os despedimentos e as recisões amigáveis vão ser facilitadas. 

- A nova legislação dos despedimentos, que será aprovada até novembro, leva em conta a dispensa do trabalhador por inadaptação, sem que isso represente qualquer modificações no posto de trabalho e sem que perca direito á indeminização.

- Nos despedimentos por extinção do posto de trabalho, a empresa não é obrigada a ter em conta a antiguidade.

- Indemnizações mais baratas para as empresas.

- A obrigatoriedade de as empresas contribuírem para um fundo de compensação com um valor até 1 por cento da retribuição base e diuturnidades do trabalhador caiu.

- Mais trabalho e menos férias. A medida só começará a produzir efeitos a partir do próximo ano.

- Pontes têm de ser marcadas no início do ano, sendo que estes dias serão descontados nas férias dos trabalhadores se a empresa assim o entender.

- A eliminação de três ou quatro feriados.  São eles o Corpo de Deus, que é móvel, do de 15 de agosto (N.ª S.ª da Assunção), 5 de outubro (Implantação da República) e 1 de dezembro (Restauração da Independência).

- Uma falta injustificada ao trabalho poderá implicar um maior corte de salário nos dias que antecedem ou se seguem aos fins de semana e feriados,
implicando a perda de remuneração do dia em falta e dos dias de folga ou feriados anteriores ou posteriores.

- O acordo mantém os limites do banco de horas negociados por contratação coletiva até ao máximo de 200 horas anuais, mas liberta as empresas para
negociar com o trabalhador individualmente um outro esquema.

- O empregador vai poder aplicar seis dias de trabalho à semana porque no acordo foi aceite eliminar o descanso compensatório, desde que se assegurem os descansos diários e o descanso obrigatório, normalmente gozado ao domingo. No fundo, a empresa pode pedir ao trabalhador para trabalhar ao sábado num valor semelhante ao do trabalho suplementar (25 por cento na primeira hora e 37,5 por cento nas seguintes).

- os feriados, que eram pagos a 100 por cento e mais uma folga suplementar, vão ser pagos a 50 por cento ou um dia de compensação.

- Os contratos de curta duração, normalmente utilizados por atividades em que a sazonalidade é preponderante, passam a ter uma duração máxima de 15 dias, quando era de sete, sendo que, em termos anuais não pode ultrapassar os 70 dias.

- O subsídio de desemprego sofre fortes reduções no valor e no tempo de atribuição. Atualmente o desempregado tem um mínimo de nove meses e três anos e um mês , conforme a idade e o tempo de descontos, a nova legislação vai variar entre quatro meses e dois anos e dois meses.

- O valor do subsídio é cortado em 10 por cento se o desemprego não conseguir colocação nos primeiros seis meses e para os salários mais altos, o subsídio será, no máximo, de 1.048 euros por mês.

- No tempo de descontos, também haverá alterações, mas mais vantajosas. Para se ter direito ao subsídio bastará ter trabalhado 12 meses nos dois anos precedentes, quando antes era de 15 meses.

 
Com tudo isto, só me apraz dizer: Voltamos á época de salazar? Tantas lutas e greves para quê? Ainda faz algum sentido feriados como o 25 de Abril ou o 1º de Maio? Qual dia do trabalhador, qual carapuça.......
publicado às 22:25

boa leitura

 

Encontro -me a ler  "4 horas por semana" de Timothy Ferriss. É um livro que retrata o que a sociedade espera da classe trabalhadora de hoje em dia, ou seja ninguém espera que nos dediquemos totalmente ao ócio mas que saibamos rentabilizar o nosso tempo de trabalho. O autor narra como ele abandonou uma rotina de expediente de 8 horas por dia e foi reduzindo até chegar a 4 horas por semana, vivendo uma vida com os mais variados agitos internacionais, sem deixar de investir na sua própria aposentadoria – embora não da forma e proporção usual. Claro que, nem tudo será possivel adaptar á nossa sociedade e moeda (valor actual) mas pelo menos ficamos a conhecer outras vivências e a saber que em algumas culturas isso é possivel. Ainda não terminei a leitura total do livro, mas recomendo a leitura.

Alguém já leu? Qual a vossa opinião?

publicado às 18:47

tenho saudades ...

 
da igreja do Corcunda de Notre Dame
 
do Moulin Rouge
 dos pequenos quiosques e ruas apinhadas de gente
 da Basilica do Sagrado Coração de Jesus
 
do Museu de Rodin
 
Enfim, que saudades de Paris.
Apenas fui uma única vez a Paris, mas sempre foi uma das viagens que gostaria  de fazer e valeu a pena. Penso voltar.
 
publicado às 18:48

Dica de poupança

Não sei se já conhecem o site: http://www.paramim.com.pt/ ? Se não conhecem, eu explico. É um site que tem um pouco de tudo, dicas sobre a casa, a moda, beleza, saúde familia e cozinha, mas o mais importante é que tem alguns vales de desconto que podem ser solicitados por cada um de nós, e para isso basta fazer o registo e pedir os vales. Eu pessoalmente costumo usar os do Fairy para lavar á mão e á máquina. Tem também de shampoos, detergentes, etc.  Vale a pena verem.

publicado às 22:06

Pág. 1/2

Calendário

Janeiro 2012

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Pesquisar